Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

EB1 do Pinheiral

Este espaço vai servir para publicar alguns trabalhos feitos pelos alunos e divulgar atividades realizadas na EB1 do Pinheiral - Caldas das Taipas.

EB1 do Pinheiral

Este espaço vai servir para publicar alguns trabalhos feitos pelos alunos e divulgar atividades realizadas na EB1 do Pinheiral - Caldas das Taipas.

13 Fev, 2014

Lince ibérico

(Lynx pardina)

DESCRIÇÃO – O seu aspeto geral é semelhante ao de um gato de cauda curta e romba. Grandes patilhas de extremidade em ponta e orelhas com tufos de pelos negros nas extremidades. As partes superiores são cinzento-arruivadas, com manchas escuras sobre o dorso, flanco e membros. As patas inferiores são branco-amareladas e a extremidade da cauda é negra. A sua pegada é arredondada e similar à do lobo, mas com as almofadas mais pequenas. As suas patas anteriores são voltadas ligeiramente para dentro e as suas garras não deixam marcas, pois são retráteis. HABITAT E DISTRIBUIÇÃO - Este lince é uma espécie exclusivamente ibérica que em Portugal se limita a algumas serras da Beira Baixa (serra da Malcata), Alentejo (região das Alcáçovas) e Algarve (Serra de Monchique). Abriga-se entre as rochas ou nas cavidades das árvores em bosques abertos de pinheiros nas montanhas, em matas densas de silvas, giestas, tojos e estevas ricas em caça menor. ALIMENTAÇÃO E HÁBITOS - Sai ao fim da tarde e alimenta-se de coelhos e lebres, crias de gamo e de veado e aves de solo. Quando caça é paciente, sigiloso e dotado de grande rapidez de reflexos, o que o habilita a perseguir grande parte de animais da fauna Mediterrânica. Nessa atividade eminentemente noturna, é de particular importância a sua audição apurada e uma visão capaz de discernir no escuro o mais pequeno movimento – de onde vem exatamente a expressão “olho de lince”. REPRODUÇÃO – Acasala entre Fevereiro e Março; a gestação é de 63 a 74 dias, nascendo entre duas a quatro crias numa ninhada por ano. LONGEVIDADE –15 anos em liberdade e 17 em cativeiro. Lince ibérico. Para mais informações acerca desta espécie, utiliza os endereços no final da página.

FACTORES DE AMEAÇA – Destruição, degradação ou fragmentação de habitates, perseguição directa pelo homem (tanto por causa da pele, como por razões de medo ou segurança) e ainda pela escassez da sua principal presa natural, o coelho bravo. MEDIDAS DE CONSERVAÇÃO – O Lince corre risco sério de extinção e os raros exemplares que restam em Portugal, estão protegidos pela lei em Portugal e Espanha.

Rodrigo Marques – 3ºH