Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

EB1 do Pinheiral

Este espaço vai servir para publicar alguns trabalhos feitos pelos alunos e divulgar atividades realizadas na EB1 do Pinheiral - Caldas das Taipas.

EB1 do Pinheiral

Este espaço vai servir para publicar alguns trabalhos feitos pelos alunos e divulgar atividades realizadas na EB1 do Pinheiral - Caldas das Taipas.

04 Fev, 2014

ORNITORRINCO

O ornitorrinco é um animal que pertence ao grupo dos mamíferos. É um mamífero peculiar porque reproduz-se através de ovos. No entanto, as fêmeas amamentam os seus filhotes.

Vive junto dos rios e riachos na Austrália e na Ilha da Tasmânia .

Locomove-se bem em terra e na água. É um ótimo nadador graças às suas patas com membranas e à sua cauda em forma de remo. Pode ficar submerso até 5 minutos. Ao entrar na água, este curioso animal fecha os olhos e os ouvidos e a sua pele espessa protege-o debaixo de água. A sua alimentação é constituída por vermes, girinos, moluscos, crustáceos, peixes e insetos. O ornitorrinco pode chegar a medir 60 cm, considerando a cauda.

CURIOSIDADES: • Quando adultos, os ornitorrincos não têm dentes. Mas, dentro do ovo, o ornitorrinco possui um único dente na ponta do bico, o chamado dente do ovo, que lhe serve apenas para furar a casca do ovo, perdendo-o logo em seguida. • Os machos têm espinhos venenosos nas patas traseiras para se protegerem. • Este animal pode chegar a viver 15 anos.

Trabalho realizado por: Margarida Coelho Coimbra do Amaral

As túlipas são originárias da Turquia e não dos Países Baixos, como o senso comum leva a imaginar. Foram levadas para os Países Baixos em 1560 pelo botânico Conrad Von Gesner. O nome da flor foi inspirado na palavra turco-otomana tülbend, posteriormente afrancesada para tulipe, que originalmente significa turbante, considerando a forma da flor invertida. Algumas referências defendem que as túlipas seriam originárias da China, de onde teriam sido levadas para as montanhas do Cáucaso e para a Pérsia. Chinesas ou turcas, o facto é que elas se transformaram numa paixão para os Holandeses e essa paixão foi tanta que gerou até uma especulação financeira envolvendo os bulbos desta planta, chegando a ser a quarta maior fonte de renda do país, na que ficou conhecido como mania das tulipas (ou tulipamania). A área mais antiga de cultivo de túlipas nesse país é a que circunda a cidade de Lisse. Hoje, é a flor nacional da Turquia (é nativa lá) e do Irão.

Embora as túlipas não se adaptem bem ao clima brasileiro, é possível induzir a planta a dar, pelo menos, mais uma floração, simulando as condições climáticas do seu habitat natural para estimular os bolbos a rebrotarem. Para isso, ao adquirir um vaso de túlipas dê preferência aos que ainda estejam com as flores em botão, permitindo-lhe usufruir da beleza da flor por mais tempo. O vaso deverá ser conservado em um local fresco e com luminosidade, evitando-se os ventos e o sol forte. Alguns colocam algumas pedras de gelo sobre o substrato (mistura de terra) no vaso, pela manhã e ao entardecer, a fim de diminuir o excesso de calor. Logo que as flores da planta murchem, corte-as, inclusive as folhas. Retire então os bolbos do substrato, limpe-os cuidadosamente com o auxílio de uma escova macia e mantenha-os em local fresco e arejado por cerca de 3 meses, sem deixar que se molhem. Após esse período, plante os bolbos num novo vaso, com terra vegetal humedecida, sem que esteja encharcada. Embrulhe o vaso assim preparado num plástico e guarde-o no congelador da geladeira durante cerca de 6 meses, a uma temperatura ideal entre 2 e 5 °C. Passado esse tempo, retire o vaso da geladeira e coloque-o num local fresco e com boa luminosidade por mais 2 meses, mantendo a terra sempre húmida. Após esse procedimento, o vaso novamente embrulhado em plástico deve retornar ao congelador, onde deve permanecer por mais 6 meses. Concluída esta etapa, o vaso deverá ser colocado num local iluminado: a túlipa deverá florescer num período entre trinta a cinquenta dias.

Trabalho de pesquisa Carolina 3º ano I 7

OCAPI

Nome: Ocapi Família: Giraffidae Classe: Mamíferos Habitat: Vivem em florestas húmidas. Reprodução: É um animal vivíparo, porque nasce do ventre da mãe. Alimentação: Folhas, rebentos, relva, fruta e fungos. OBS: Os ocapis têm o corpo escuro, com riscas brancas nas pernas. A forma do corpo é semelhante à da girafa e tem uma língua muito longa, que usa para retirar as folhas das árvores. O seu comprimento pode ir de 2 a 2,5m e o seu peso varia entre 200 e 250 quilos. Dão à luz uma cria de cada vez que pesa cerca de 16 kg.

Sérgio I7

Agapornis

Nome: Agapornis Família: Psitatacidae Classe: Aves Habitat: Vivem em regiões secas e relativamente arborizadas. Reprodução: São animais Ovíparos porque se reproduzem por ovos. Alimentação: Frutas, vegetais, ervas e sementes.

OBS: São aves barulhentas e ativas em liberdade e em cativeiro. É vertebrado. É uma ave colorida e pequena que atinge 15 cm.

Trabalho de pesquisa 3º ano Turma I 7

Bilhete de identidade do cavalo (animal selvagem) Nome - Cavalo Tamanho - 1,50m a 1.60m Peso - 330 a 550 kg Revestimento - Pelo Cor - Castanho ou branco ou preto ou malhados com estas cores. Onde Vivo - Na quinta ou nos campos selvagens. Alimento-me - de ervas e algumas frutas Tempo de Gestação - 11 meses

Trabalho de pesquisa Matilde Fernandes 3º ano – turma I 7

Bilhete de identidade do Gato (Animal doméstico) Nome - Gato Tamanho - Mais ou menos 60cm Peso - Mais ou menos 6 kg Revestimento - Pelo Cor - Posso ser branco, preto, castanho, cinzento ou reunir algumas destas cores. Onde vivo - Na casa do dono. Alimento-me - Sou um animal carnívoro Tempo de gestação - 63 dias.

Trabalho de pesquisa Matilde Fernandes 3º ano I 7



Pág. 4/4