Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

EB1 do Pinheiral

Este espaço vai servir para publicar alguns trabalhos feitos pelos alunos e divulgar atividades realizadas na EB1 do Pinheiral - Caldas das Taipas.

EB1 do Pinheiral

Este espaço vai servir para publicar alguns trabalhos feitos pelos alunos e divulgar atividades realizadas na EB1 do Pinheiral - Caldas das Taipas.

.png

O tambor, mal foi construído, foi enviado para a guerra para comandar a marcha das tropas.

OS soldados vinham de todo o lado e iam para a guerra combater com armas e canhões ao ritmo do tambor comandante.

Um dia a guerra acabou e as pessoas decidiram viver em Paz.

O tambor ficou contente, pensando que ia descansar, mas os sobreviventes juntaram-se em marcha para festejar e levar a mensagem para todos saberem da notícia.

Assim, o tambor descobriu uma maneira nova de tocar, pois tocava de alegria porque a guerra acabou.

 

João Nuno Silva Frade

Encontrei uma estrela

Muito, muito amarela

Que estava no céu

A olhar para a minha janela.

estrel.png

Encontrei uma estrela

Cheia de ouro

Muito bonita

Que continha um tesouro.

estrela.png

Encontrei uma estrela

Chamada Unicórnio

Muito amiga

Do meu vizinho António.

cavalo.png

 

Encontrei uma estrela

Muito colorida

Muito simpática

E de ninguém é inimiga .

estrelinha.png

Alice Martinho 4º ano turma H\8

26 Out, 2011

Tenho medo

 

Tenho medo   do escuro

E não gosto do jacaré

E se fosse   atacado

Se viesse um atrás de mim a correr

Eu teria que ser ajudado.

Gabriel

                                                                                       

Tenho medo de cobras

Não gosto destes animais

E se ela me atacar

Se ela vier atrás de mim

Alguém terá de me ajudar.

Lucas Ribeiro

                                                                                       

Tenho medo das cobras

Não gosto destes animais

E se ela atrás de mim correr

Se ela me quiser morder

Alguém terá de me socorrer

Rebeca

                                                                                       

Tenho medo de ficar doente

Não gosto de ficar na cama

E se eu adoece

E se não ficar melhor

Alguém fará o médico aparecer.

Ricardo

                                                                                       

Tenho medo de enguias eléctricas

Não gosto de as ver

E se elas vierem à minha beira

Se alguma me atacar

Alguém terá de me ajudar

Fábio

                                                                                       

Tenho medo de cobras

Não gosto delas ao meu pé

E se deitam o ferro cá para fora

Se é hora de me ir embora

Alguém terá de me ajudar. 

Camila

 

Tenho medo de cães

Não gosto que fiquem à minha beira

E se ele me trincar

Se me começar a ladrar

Alguém irá  me ajudar.

Sara

 

Tenho medo de touros

Não gosto de levar uma cornada

E se ele atrás de mim vier

Se me quiser apanhar

Alguém terá de me salvar.

Vítor                                                                         

 

Tenho medo de ficar internada

Não gosto de ter asma

E se ficar lá outra vez

Se disso precisar

Alguém terá de me levar.

Leonor

 

Turma B do 3º ano

26 Out, 2011

Chuva

Do dia um

Ao dia dez

A chuva molha-nos

Da cabeça aos pés.

Quando a chuva

Está a cair

Para um abrigo

Tenho de ir.

No inverno

A chuva cai sem parar

E em casa

Vou ficar

( Beatriz Marques  3º A)

 

Quando a chuva cai

Eu fico a tremer.

Vem o meu pai

Para me proteger.

 

A chuva cai no chão

Vou para casa

Chamo o João

Para brincar.

(Diogo José 3º A)

 

A chuva apareceu

O chapéu fui buscar

O sol desapareceu

Tenho que me agasalhar.

 

Kispos e galochas

Tenho que usar

 Se me descuidar

Posso-me constipar.

(João Nuno 3º A)

 

A chuva apareceu

O chapéu fui buscar

O sol desapareceu

Tenho que me agasalhar.

 

Kispos e galochas

Tenho que usar

 Se me descuidar

Posso-me constipar.

(João Nuno 3º A)

Chuva, chuvinha

Tanto cais depressa

Como cais devagarinho

Chuva, chuvinha

Não gosto quando molhas

A minha roupinha.

Chuva no inverno

Chuva no verão

Deixa-me ser sempre

O mesmo brincalhão.

(Sandro 3º A)

Com a chuva a cair

Guarda chuva temos de usar

Roupas quentes vamos vestir

Botas vamos calçar.

 

Temos de acender a lareira

Para não termos frio

Sentamo-nos ao pé da fogueira

Na casa do tio.

(Bárbara 3º A)

 

Quando a chuva

Está forte levo

Sempre o guarda chuva.

Quando a chuva é miúda

Uso sempre uma luva.

E a chuva molhada

Parece engraçada.

( Francisca 3ºA)

 

 

Notícia do Jornal Reflexo de 25-10-2011:

 

"O executivo da Câmara Municipal de Guimarães vai votar, esta quinta-feira, uma proposta de alargamento do prazo de execução das obras da Escola do Pinheiral, por mais 70 dias. A proposta, a levar a votação na reunião quinzenal do executivo da Câmara Municipal de Guimarães, a realizar a 27 de Outubro próximo, é apresentada pelos Serviços do Departamento de Obras Municipais. Propõe-se, então, que seja concedido à empresa adjudicatária da empreitada, uma prorrogação de prazo de execução da obra por 70 dias, sem qualquer custo ou encargo adicional para a autarquia. Relembre-se que a intervenção de reconversão da escolha EB 1 do Pinheiral num novo Centro Escolar se iniciou no passado dia 17 de Janeiro e contava com um prazo de execução de 300 dias. Desde essa altura, os alunos daquele estabelecimento escolar passaram a frequentar as aulas, provisoriamente (1 ano), na Escola Secundária das Taipas sendo apontado o inicio do segundo período do corrente ano lectivo como a data em que os alunos da EB1 do Pinheiral passariam a ocupar as renovadas instalações. Com esta prorrogação do prazo de execução da obra a mudança dos alunos para as novas instalações, na data inicialmente prevista, poderá ficar comprometida."

 
  
24 Out, 2011

A Biblioteca

Vinte e quatro de Outubro

Dia da biblioteca escolar.

É o local preferido

Para ler e estudar.

 

Lá, também, nos divertimos

A jogar e pesquisar

Mas temos de estar em silêncio

Para os outros não perturbar.

 

Na biblioteca encontramos

livros, jogos e computadores.

Gostamos muito de lá ir

Com os nossos professores.

 

 

Trabalho colectivo do 3ºA

Era uma vez, um menino chamado Rui. Ele vivia numa casa à beira de uma praia.
No final de uma tarde, o Rui foi passear com os seus pais à
beira-mar, de repente o vento começa a soprar, a chuva a cair e a
transformar-se em granizo. Começaram a correr para casa. Escureceu, os
raios da trovoada iluminavam o céu. Estava a preparar-se uma noite de
temporal. O Rui ficou preocupado com o que podia vir a acontecer.
A chuva era tão forte e o vento a acompanhá-la, que tudo parecia estremecer.
Rui sentiu medo, e decidiu ir para a cama. Não conseguia dormir com
o barulho e ficou horas sem pregar olho. Entretanto adormeceu e teve
um sonho, ia ter uma irmã. Imaginava-a tão linda que parecia uma flor.
Na manhã seguinte, quando acordou, seu pai deu-lhe uma novidade, a
mãe está grávida de uma menina.
O Rui ficou feliz, mas ao mesmo tempo achou estranho, porque o seu
sonho transformou-se numa realidade.

José Carlos Braz
Turma H8 do 4º ano
24 Out, 2011

O outono

O outono é uma estação do ano, em que muitas coisas na natureza se
transformam. As árvores deixam cair as folhas e ficam despidas. O
manto de folhas coloridas, cobre o chão da natureza.
Colhem-se os deliciosos frutos, a vermelha romã, as coloridas uvas, as
castanhas estaladiças e o alaranjado dióspiro. Saborosos que são, os
frutos do outono.
Acabam-se as férias e as aulas regressam.
Os ventos atrevidos, por vezes fazem estragos. Surgem as primeiras
chuvas, lá andam os guarda-chuvas de mão em mão.
É tempo de agasalhos, o frio aproxima-se, lá se vão os passeios à beira-mar.
As temperaturas desagradáveis, permitem agasalhos quentes e confortáveis.
Os dias tornam-se mais pequenos, e as noites mais longas.
Lá vão as andorinhas, fazer a longa viagem para outros países mais quentes.
O sol deixa-se esconder, pelas atrevidas nuvens acinzentadas.
O outono, entristece a alma!...

José Carlos da turma H8 do 4º ano