Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

EB1 do Pinheiral

Este espaço vai servir para publicar alguns trabalhos feitos pelos alunos e divulgar atividades realizadas na EB1 do Pinheiral - Caldas das Taipas.

EB1 do Pinheiral

Este espaço vai servir para publicar alguns trabalhos feitos pelos alunos e divulgar atividades realizadas na EB1 do Pinheiral - Caldas das Taipas.

A turma G7 do 4º ano festejou o Dia do Pai.
Aprendemos e entoámos uma canção alusiva ao dia e fizemos poesias e arósticos.
 

Vou cantar a canção
Mais linda que eu sentir
Ao meu querido paizinho
Para o poder ver sorrir.

Gosto muito do meu pai
Que gosta de me ajudar.
Não tenho medo de nada
Ao meu lado vai estar.

 

Quando falo, quando rio
Quando sigo o meu caminho
Vejo os olhos do meu pai
Sempre cheios de carinho.

A brincar ou a trabalhar
Ele está sempre comigo.
Nele posso confiar
Ele é um grande amigo.

 

Se algum dia ele se zanga

É que não me portei bem.
Mas eu gosto muito dele
E ele de mim também.

 

Música: “As pombinhas da C

atrina” 

A Associação Comercial e Industrial de Guimarães celebrou o Dia do Pai nas Taipas. Os alunos da nossa escola participaram nesta iniciativa. Esta insere-se no âmbito do Projecto de Animação Comercial aprovado para as Taipas e realizou-se esta sexta-feira, 18 de Março, no recinto da feira semanal. Os animadores ocuparam os alunos com algumas atividades.

Hoje, dia 19 de março, é o Dia do Pai. Como não podia deixar de ser, os alunos e alunas da Escola do Pinheiral dedicaram, esta semana, grande parte do seu tempo em atividades relacionadas com a comemoração deste dia. A motivação dos alunos era muito grande, todos queriam fazer muitas prendas para oferecer aos seus pais, manifestando desta forma o seu amor por esta pessoa tão importante nas suas vidas. Algumas alunas quiseram deixar aqui mais uma "prenda cantada" para todos os seus pais.

 

Para fazermos um texto sobre a Biblioteca tivemos que preencher um esquema no quadro sobre a Biblioteca

esq.jpg cad.jpg

A seguir fizemos o texto no quadro e no caderno diário.

quadrot.jpg cadt.jpg

No final passamos o trabalho para o computador Magalhães.

maga2.jpg mag.jpg

A BIBLIOTECA

 

A Biblioteca é um local de descoberta e diversão, onde pesquisamos trabalhos e podemos encontramos respostas às nossas dúvidas. Para que possamos usufruir dela, a biblioteca deve ser um espaço silencioso, arrumado, acolhedor e descontraído. Na Biblioteca temos o direito de consultar, ler, pesquisar no computador, requisitar livros, visionar filmes, trabalhar e jogar. Lá podemos encontrar livros sobre todos os assuntos, filmes, jogos educativos, algumas músicas e ter acesso à internet. Nós gostamos muito de ir à biblioteca.

Maria Luísa Bliebernicht Ducla Soares Sottomayor Cardia nasceu em Lisboa a 20 de Julho de 1939. É licenciada em Filologia Germânica. Iniciou a sua actividade profissional como tradutora, consultora literária e jornalista, tendo sido directora da revista de divulgação cultural Vida entre 1971 e 1972. Foi Adjunta do Gabinete do Ministro da Educação de 1976 a 1978. Trabalha desde 1979 na Biblioteca Nacional onde é assessora principal e responsável pela Área de Informação Bibliográfica. Colaboradora de diversos jornais e revistas, estreou-se com um livro de poemas, Contrato, em 1970. Dedicada especialmente à literatura para crianças e jovens, publicou mais de meia centena de obras neste domínio. Escreveu 26 guiões televisivos que constituem a série sobre língua portuguesa Alhos e Bugalhos. Recusou, por motivos políticos, o Grande Prémio de Literatura Infantil que o SNI, (Secretariado Nacional de Informação), pretendeu atribuir-lhe pelo livro História da Papoila em 1973. Recebeu o Prémio Calouste Gulbenkian para o melhor livro do biénio 1984-5 por 6 Histórias de Encantar e foi galardoada com o Grande Prémio Calouste Gulbenkian pelo conjunto da sua obra em 1996. Em 2004 foi seleccionada como candidata portuguesa ao Prémio Hans Christian Andersen.

ALGUMAS DAS SUAS OBRAS:

-CONTRATO

-DIARIO DE SOFIA E COMPANHIA

-O RATINHO MARINHEIRO

-MEU BICHINHO, MEU AMOR

-AS VIAGENS DE GULLIVER

-O SOLDADO JOAO

-O DRAGAO

- O URSO E A FORMIGA

-O CAVALO NO TEMPO

-POEMAS DA VERDADE E DA MENTIRA

-A CAROCHINHA E O JOAO RATAO

-LENGA-LENGAS

- CONTOS PARA RIR

- A GATA TARECA E OUTROS POEMAS LEVADOS DA BRECA

 

Trabalho realizado por: Ana Luísa Ferreira Marques Turma G7 - 4º ano

ines vinagre.bmp

Inês Vinagre nasceu em Lisboa no ano de 1983. As suas habilitações são uma licenciatura em Ensino Básico - 1º Ciclo e uma especialização em Associativismo e Animação Sócio-Cultural, pela Universidade do Minho. Nos últimos anos tem trabalhado essencialmente no apoio educativo a alunos cuja língua materna não é o português, crianças com dificuldades de aprendizagem e em situação de risco social. O seu mais recente livro é "O Homem da Nuvem Escura" ilustrado pelo seu marido, Sebastião Peixoto. A jovem autora já recebeu o "Prémio de Literatura Juvenil Ferreira de Castro" e o "Prémio Jovens Criadores".

Trabalho elaborado por: Ana Raquel Ferreira Marques - Turma G7- 4º ano

 

Inês Vinagre vive em Braga.

Tem 27 anos. O livro “O Homem da Nuvem Escura conta com ilustração de Sebastião Peixoto, autor do blogue Brufen 600 e é uma edição da Opera Omnia.

A Junta de Freguesia de S. Vítor, do mesmo concelho, comprou 200 cópias para distribuir pelos alunos do 4º ano.

Manuela

Existia um rei que cheirava muito mal porque não tomava banho, pois tinha medo da água.

A esposa tinha morrido intoxicada, os membros da corte afastavam-se dele e a sua filha, para se aproximar dele, punha uma mola de ouro no nariz.

Um dia ao penteá-lo, a filha encontrou um piolho. Quis matá-lo, mas o seu pai disse para não o matar, pois era o seu bicho de estimação. O piolho foi crescendo cada vez mais. Um dia o rei foi passear e o bicho apanhou um escaldão e adoeceu. Vieram veterinários de longe, mas ninguém o curou, acabando por morrer. O rei não quis enterrar o piolho, porque com a sua pele, fazia um tambor. Ele começou a enfraquecer com o desgosto. Então, resolveu casar a sua filha para ela não ficar desamparada. Casaria com ela quem adivinhasse de que era feito o tambor.

Como estava apaixonada por um capitão da marinha, disse-lhe o segredo. Um criado muito velho ouviu e contou ao rei. Este disse que ele casaria com a princesa. Mas ela não gostava dele e fez-lhe muitas ameaças. O criado desistiu e ela casou-se com o capitão.  Mandaram construir um palácio com vinte casas de banho e uma piscina em frente à sala. À entrada colocaram um letreiro que dizia que era proibida a entrada de piolhos.

TEXTO PASSADO POR BáRBARA ALBERTA

15 Mar, 2011

Dia do Pai

Adivinha O Quanto Gosto De Ti

Andre Sardet

Já pensei dar-te uma flor, com um bilhete,

mas nem sei o que escrever.

Sinto as pernas a tremer,

quando sorris p'ra mim,

quando deixo de te ver.

 

Vem jogar comigo um jogo,

eu por ti e tu por mim.

Fecha os olhos e adivinha,

quanto é que eu gosto de ti.

 

Gosto de ti, desde aqui até à lua.

Gosto de ti, desde a Lua até aqui.

Gosto de ti, simplesmente porque gosto.

E é tão bom viver assim.

 

Ando a ver se me decido,

como te vou dizer,

como hei-de te contar.

Até já fiz um avião,

com um papel azul,

mas voou da minha mão.

Vem jogar comigo um jogo,

eu por ti e tu por mim.

Fecha os olhos e adivinha,

quanto é que eu gosto de ti.

 

Gosto de ti, desde aqui até à lua.

Gosto de ti, desde a Lua até aqui.

Gosto de ti, simplesmente porque gosto.

E é tão bom viver assim.

 

Quantas vezes eu parei à tua porta.

Quantas vezes nem olhaste para mim.

Quantas vezes eu pedi que adivinhasses.

Quanto é que eu gosto de ti...

 

Gosto de ti, desde aqui até à lua.

Gosto de ti, desde a Lua até aqui.

Gosto de ti, simplesmente porque gosto.

E é tão bom viver assim.